A HortaFCUL e as Escolas

 

A HortaFCUL colabora com escolas desde o seu início. A experiência de trabalhar com os mais novos tem sido uma mais-valia para o projecto e uma oportunidade de começar cedo a educar as gerações futuras para os problemas ecológicos, sociais e económicos que ameaçam a nossa sustentabilidade e a conservação da biodiversidade. O contacto das escolas com a HortaFCUL tem como principal objectivo dar a conhecer aos mais jovens alguns princípios básicos da Permacultura, assim como das técnicas e métodos que aplicamos no nosso jardim alimentício. Através de diferentes dinâmicas mostramos e ensinamos como produzir naturalmente alguns dos vegetais presentes na nossa alimentação e onde podem ser eles próprios a executar algumas das tarefas necessárias à manutenção de uma horta urbana e biológica, ou até mesmo como eles a podem com simplicidade fazer em casa.

 

A HortaFCUL recebe turmas de todos os anos de escolaridade, adaptando as suas dinâmicas a estas mesmas circunstâncias, assim como ao formato da colaboração com a escola.

 

Assim as escolas têm vindo a colaborar conosco nos seguintes formatos:

Visitas à HortaFCUL

 

As visitas de estudo ao nosso jardim são o tipo de colaboração que temos desenvolvido mais, uma vez que, estando na Horta, os alunos poderão ter a possibilidade de interagir com o espaço e com as actividades diárias da horta, como por exemplo aprender a plantar pés de diversos vegetais, aprender a observar a biodiversidade que podemos encontrar no jardim e perceber todo o contexto e ideologia por trás do projecto.

 

As visitas guiadas à HortaFCUL são gratuitas, tendo os alunos apenas de trazer boa disposição, alegria e acima de tudo, vontade de sujar as mãos. Os horários destas visitas assim como a sua duração são muito flexíveis, dependendo do objectivo da visita e do interesse da escola.

 

Caso esteja interessado em vir com os seus alunos conhecer a HortaFCUL e aprender um pouco sobre Permacultura e hortas urbanas, contacte-nos.

Visitas da HortaFCUL à Escola

 

Devido a diferentes factores, muitas vezes as escolas não têm a possibilidade de nos vir visitar ou torna-se menos importante no caso das escolas já terem alguma horta ou projecto escolar neste sentido. Nos casos em que a escola não pode vir à Horta, a Horta poderá ir até elas, apresentando as éticas e princípios aplicados na Permacultura, assim como as metodologias que usamos no nosso jardim. Muitas das vezes, estas actividades em sala de aula são também suportadas com dinâmicas de aprendizagem ao ar livre, tentando explicar aos alunos algumas questões mais práticas da Permacultura e hortas urbanas.

 

Neste contexto, muitas escolas têm também os seus espaços verdes, e mesmo algumas delas chegam a ter projectos de hortas comunitárias ou de carácter didáctico. A HortaFCUL também se disponibiliza a ir a estas escolas oferecer um pouco de "know-how" sobre Permacultura e tudo que ela engloba, ajudando assim a dinamizar espaços verdes ou projectos já existentes na escola sobre esta temática.

 

Estas visitas são tendencialmente gratuitas, sendo apenas pedido a cobertura do custo do transporte da equipa até à escola, quando necessário.

 

Caso esteja interessado em que a HortaFCUL visite a sua escola e os seus alunos, contacte-nos

A Escola de São João veio à Horta

 

Após visita à HortaFCUL, os alunos da escola de São João elaboraram um texto sobre o que viram, fizeram e sentiram durante esta visita. Podes ler aqui o relato feito por eles:

 

"Partimos da escola às 13h30m, no autocarro Alfacinhas. Fomos acompanhados pela Luizinha, pela avozinha Nanda e pela professora Dulce. Saímos no Campo Grande e fomos a pé até ao Edifício C2 da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. À nossa espera estavam: a Carina da Escola Ciência Viva, O Dr. David Avelar e três colegas dele (o Pedro, o Rui e o Daniel). Fizemos a nossa apresentação dentro da casa de canas que havia perto da horta. Fomos divididos em grupos de quatro alunos para melhor explorarmos a horta. Cada guia foi explicando ao seu grupo o que havia na horta e nós íamos tirando apontamentos e recolhendo amostras. Na horta vimos: Lúcia lima, pepino, alcachofra, papiro, cerejeira, alfazema, cana-de-açúcar, yuca, faveira, morangueiro, trepadeira, chá de príncipe, hortelã, alho francês, nabiças, brócolos e uma amendoeira. No meio da horta havia um lago com peixes, girinos, rãs e estava coberta de palha para conservar a humidade de terra e evitar as ervas daninhas. Não era um terreno liso, tinha montinhos para aumentar o espaço de cultivo, e para melhor expor as plantas ao sol. Ficamos a saber que os morangueiros devem ser colocados no sítio mais soalheiro da horta. Se os colocarmos em sítio com pouco sol eles crescem mais mas não dão fruto.

A seguir fomos às estufas, onde havia plantas com um sistema de rega automático. Algumas eram cultivadas sem terra (aeroponia). Outras eram cultivadas na água (aquaponia). Também vimos uma consociação entre os peixes e as plantas. Concluímos que as plantas da estufa eram para fazer experiências. Vimos o composto, mas algum ainda não estava completamente feito. Respondemos às perguntas que nos fizeram sobre a horta. Tiramos fotos e voltamos para o autocarro para regressarmos à escola. Foi uma tarde muito bem passada e aprendemos muito mais coisas sobre a horta e as plantas que nela se cultivam."